www.passandoalimpo.com

Arthur Godoy Júnior

arthur007@uol.com.br

Telefone e WhatsApp (11) 99118-5007


São Paulo, 12 de dezembro de 2018

Atualizado às 09h30

online


A notícia mais importante desta atualização

Com votos da oposição, Luis Pereira é eleito presidente do Legislativo

O vereador Luis Pereira foi eleito presidente da Câmara.

André Beck e Maurício Gouvêa foram os únicos que não votaram no macchionista.

- Ditinho Muleta, Enfermeiro Ari, Amarildo Davoli, Onofre Baraldi, Daniel Palmeira, Gaúcho, Wilson Paraná, Ivan Bernardi, Nilton Cândido, Luis Pereira e Cidimar Porto votaram no governista.

- Composição da mesa diretora, presidente: Luis Pereira; vice: Amarildo - 1º secretário: Onofre - 2º secretário: Paraná

Abaixo, em ordem alfabética, os vereadores que elegeram Luis Pereira:

Amarildo Davoli


Ari Enfermeiro


Cidimar Porto


Daniel Palmeira


Ditinho Muleta


Gaúcho


Ivan Bernardi


Luis Pereira


Nilton Cândido


Onofre Baraldi


Wilson Paraná


Opinião

Só falta puxar a descarga...

Arthur Godoy Júnior

A política, na maioria das vezes, é como um jogo de xadrez. Você pode realizar 40 jogadas maravilhosas. Em um único lance, perde a Rainha, as Torres, e seu jogo vai para o brejo. O xadrez é um jogo de estratégia, para pessoas que conseguem enxergar a médio e longo prazo. Os craques entregam uma peça de mão beijada, para os afoitos se gabarem por um breve momento. Momentos depois, o afoito percebe que será escorraçado do tabuleiro. Isso também acontece na política. Jogo para homens e não para amadores. Quem não sabe jogar, sai do campeonato. Isso também acontece na vida pública. Muitos são conhecidos pela frieza com que movem as peças, e estes entram para a história. Os outros, no máximo, se transformam em breve rascunho na parede.

A bem da razão, Luis Pereira já deveria ter ocupado a presidência do legislativo há muito tempo. Pela experiência política que acumula, pelo tempo de vereança e muitas vezes pela liderança que exerce sobre alguns parlamentares. Mas preferiu continuar com suas atividades fora do legislativo, algumas delas entremeadas pelo assistencialismo que se transforma em votos a cada eleição. Em seu escritório, recebe diariamente dezenas de pessoas em busca de todo o tipo de benesses, e numa costura e outra, Luis Pereira vai angariando seu rebanho eleitoral. Talvez, as filas mudem da rua Sergipe para a Câmara Municipal, ou a permanência do presidente do legislativo em seu - agora oficial - local de trabalho - seja apenas parcial.

Mas Luis Pereira, o novo presidente, não é um jogador afoito, muito pelo contrário. Sabe mover as peças como ninguém e assim vai sobrevivendo politicamente. Suas falas, calculadas, escondem sempre seus reais objetivos. Esteve ao lado dos últimos prefeitos. Na primeira eleição de Macchione, foi ele, Pereira, quem abriu a porta do gabinete para o prefeito empossado. Eu sei, eu vi, eu estava lá. Como também foi um soldado para Geraldo Vinholi. Claro que com a mudança de governo, mudou o discurso e hoje é macchionista roxo. Em sua fala, diz que pretende ser uma ponte entre Catanduva e o governo do Estado, chegando a elogiar o futuro secretário Estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. Tenta ignorar que seu pescoço está a prêmio dentro do PSDB, mas sabe que seus dias no tucanato estão contados. Para erguer a legenda em Catanduva, Marco Vinholi terá que dar o bilhete azul para o novo presidente da Câmara. O único contato que Pereira terá com o governo estadual será na hora de pagar o IPVA do carro.

Qual é a vantagem para Marco Vinholi e PSDB terem em suas fileiras - mesmo como presidente da Câmara - alguém que defende com unhas e dentes um governo que processa civilmente o ex-prefeito Geraldo Vinholi, pai do futuro secretário? Talvez, o amigo leitor não saiba mas o governo Macchione moveu há quatro meses um processo contra Vinholi, alegando improbidade administrativa e danos ao erário. Vinholi deve ser citado, se já não o foi, em Barueri. Assim, a permanência de Luis Pereira é questão de dias. Aliás, já dizem que seu caminho natural será o PSB. Vai repousar ao lado de Nilton Cândido, Amarildo Davoli e Cia.

Não posso me esquecer que estava falando de jogo de xadrez. Ontem, o meio político assistiu a uma daquelas jogadas inexplicáveis. Homens públicos praticando o suicídio moral e ético. Nada contra Luis Pereira, ele não passa de um símbolo. O símbolo gravado a ferro e fogo do governo Macchione. Pois foi nesse símbolo, que membros da chamada "oposição" votaram de forma submissa, ignorando a tudo e a todos. Alguns, mais tolinhos, chegaram a ficar irritados quando seus votos foram divulgados com antecedência por este espaço ou pelos grupos de WhatsApp. Ora, uma das funções do jornalismo é expor os homens públicos em seus erros, acertos e contradições. Eu não voto, e quem vota precisa receber seus bônus e ônus. Meu compromisso é com o leitor, e o deles é - ou era - com o cidadão. Cada um que arque com a consequência de suas decisões.

O que os vereadores da oposição talvez não perceberam, e se perceberam parece que não estão preocupados com isso - que perderam a credibilidade. Não foi uma presidência da Câmara, mas sim a confiança da população. Voto, na calada da noite, nas reuniões, pode ser negociado. Mas perder a credibilidade pública é muito mais complicado. Como acreditar em berros, em discursos inflamados, em atos e projetos daqueles que votaram a favor do governo que diziam combater? Ou melhor, como acreditar naqueles que diziam defender a população e na hora do voto, disseram amém ao prefeito? Como acreditar naqueles vereadores que se diziam perseguidos - administrativamente - e que estão sendo processados pelo atual governo, se na hora do voto decidiram abraçar este mesmo governo? Algo do tipo assim, mulher de malandro. Apanha, mas ama. Como dar credibilidade a esse tipo de político?

Difícil, né?

Bem, resta agora puxar a cordinha da descarga e esperar que na próxima eleição, a população devolva os afoitos para o lugar que lhes cabe: o ostracismo e a poeira do esquecimento.

Vamos torcer para que o encanamento não entupa e que tudo desapareça de uma única vez...

Se é que me entendem...

Em tempo: quero deixar aqui os meus parabéns ao novo presidente da Câmara, Luis Pereira. Boa sorte e sucesso!

Meu nome é Arthur Godoy.

Este é o site Passando a Limpo, atualizado diretamente de São Paulo.

E amigos leitores, fiquem bem. Onde quer que vocês estejam...



Legislativo e Executivo estão em crise. Em sua opinião, quem são os responsáveis por esta situação, que pode culminar com a falta de ônibus na cidade?
Prefeito Municipal e seus secretários.
Câmara Municipal e vereadores.
Unicamente o prefeito.
Os vereadores da oposição.
Nenhum dos dois, isso faz parte da política.
Ambos. Prefeito e vereadores.
Não tenho opinião sobre o assunto.
Vou de táxi....




A notícia não tem hora para acontecer...

GRUPOS DE WHATSAPP PASSANDO A LIMPO

EM 12/12/2018 - 216 VAGAS

Os leitores do site Passando a Limpo que tiverem o aplicativo WhatsApp podem receber em primeira mão as notícias mais importantes do dia. Política, cotidiano, esportes, prestação de serviços, utilidade pública, administração, enfim, tudo isso em seu aparelho celular.

Estamos com os "grupos de WhatsApp", os canais mais ágeis e rápidos para receber a notícia. São quatro grupos, com 256 vagas cada.

No momento, estamos preenchendo o 4º grupo.

Acompanhe praticamente em cima da hora o fato, as repercussões, as opiniões. Saiba antes de todo mundo aquela notícia que será a discussão do dia seguinte.

Para participar é fácil.

É só clicar no link abaixo, ou encaminhar seu nome e número de telefone para o Whatsapp (11) 99118-5007 ou ainda pelo e-mail arthur007@uol.com.br

Diariamente informaremos o número de lugares disponíveis.

Afinal, a notícia não tem hora para acontecer...

Clique no link abaixo, e faça parte de nossa comunidade.




Arthur,

enquanto o prefeito dá uma maquiada no centro da cidade, olha a situação do Jardim Borgonovi.

Mande seu recado, sua reclamação, sugestão, ajude a sua cidade. O e-mail para contato é arthur007@uol.com.br. Você pode clicar no link acima e escrever seu comentário.


Mais uma cobra Urutu Cruzeiro foi encontrada no Bairro Pedro Monteleone na Rua Vicente Sanches.

Há informações a respeito de uma outra cobra da mesma espécie numa casa vizinha.

Os moradores reclamam do mato alto e que é constante o aparecimento de cobra e outros animais peçonhentos.

Você, amigo leitor, pode colaborar enviando imagens para arthur007@uol.com.br ou para o WhatsApp (11) 99118-5007.



- Ministério Público abre 12 inquéritos contra Macchione, secretário da Saúde e médicos do CEM para apurar fraudes nos cartões de ponto.

- Todos os médicos responderão a inquéritos. Sobrinho do prefeito Afonso Macchione está entre os investigados.

- Inquéritos abertos contra o prefeito, a direção do CEM, o secretário de Saúde e os médicos são de Improbidade administrativa. Apuração teve início após a constatação do Conselho Municipal de Saúde de que médicos assinavam pontos e não cumpriam horário.

- Na manhã desta segunda-feira, 10, ouvimos o membro do Conselho Municipal de Saúde, Fernando Veteri, que participou da ação que descobriu a falta dos médicos e o uso indevido dos cartões de ponto no CEM. Ele falou aos grupos de WhatsApp do site Passando a Limpo a respeito da decisão do Ministério Pùblico em instaurar 12 inquéritos contra todos os envolvidos na história. Veteri considerou o caminho do MP como "natural e esperado".

- Fernando Veteri aproveitou para agradecer o trabalho da imprensa catanduvense com a divulgação dos fatos apurados.

- Ministério Público abriu apuração para investigar a conduta dos seguintes médicos: 1) Álvaro Alves Campos Júnior; 2) Maria Aparecida Cecilio Foster; 3) Luis Alberto Gonzales Peres; 4) Raul José de Andrade Vianna Junior; 5) Wladimir Pedro Sestito; 6) Antonio Sérgio Fernandes; 7) Adriana Romero Braga; 8) Ricardo Alexandre Zupirolli; 9) Mário Fernando Providello Esteves; 10) Marcelo Ceneviva Macchione; 11) José Aparecido Sabbion e 12) Andrea Cristina Zine Giacondo Monteleone. Além desses, serão investigados o prefeito Afonso Macchione, o secretário de Saúde, Ronaldo Gonçalves, Livia Maria Borges de Moraes, Angélica Aparecida Freu Costa e a Diretoria Regional de Saúde.

A cada atualização, esta coluna receberá novos comentários e informações. Colabore enviando seu e-mail para arthur007@uol.com.br, com o título "Na Ponta da Pauta". Após recebermos a informação, realizaremos a checagem e publicação. Sigilo absoluto. Passando a Limpo: é você quem faz!




Opinião

CTV/1º. período: 1918-1927

Luiz Roberto Benatti

Às 13 horas, do dia 14 de julho de 1918 (129º. ano da Revolução Francesa), no salão nobre do Clube Recreativo 7 de Setembro, presidido por Lafayette Salles, juiz de Direito de São José do Rio Preto, instalou-se, pelo custo de mil e setenta réis, o município de CTV, ocasião também da posse dos primeiros vereadores:Ernesto Ramalho, Joaquim Delfino Ribeiro da Silva, José Pedro da Motta, Adalberto Bueno Netto, Nestor Sampaio Bittencourt e Francisco de Araújo Pinto. Seis ao todo. A data da Revolução francesa não surgiu do nada, muito menos do acaso. Eram elas criaturas maçônicas, socialistas e republicanas. No Largo do Jardim/Praça da República (terreno doado por Rufino Benito, cujo gesto enterrou-se no fundo do baú da desmemória), à noite, o povo assistiu ao concerto da Banda Municipal SP Norte, de Araraquara, seguido de concorrido baile.

No dia seguinte, a câmara elegeu Ernesto Ramalho prefeito inaugural. Até 1930, o sistema de escolha de prefeito fazia-se à moda republicanoparlamentarista, quer dizer, a indicação do nome do administrador era atributo da câmara e o escolhido foi um dentre os 6 vereadores.Ernesto Ramalho arregaçou a manga da camisa e foi à luta: pela resolução no. 3, alugou prediozinho modesto na Avenida 3/Rua Alagoas, ao lado do futuro Cinetheatro São Domingos, na Praça da República, onde instalou o paço municipal (o caminhãozinho e a bandeira hasteada estão em frente da prefeitura): em 6 de setembro de 1921, Minguta foi velado nesse local, onde, muitas décadas depois, localizou-se o escritório de compra e venda de automóveis de José Antônio Borelli.

Dois fatos importantes acerca da localização da prefeitura nesse lugar: 1º.)era ponto alto e bem protegido das febres palustres e dos alagamentos do Rio Japurá/São Domingos; 2º.) localizava-se na Praça da República o órgão republicano por excelência da província, e não na Praça Francisco Matarazzo, fascista da primeira hora. A resolução no. 4 criou 10 escolas e, em 10 de maio, a lei no. 8 autorizou a administração a firmar contrato com a companhia elétrica para o fornecimento de energia. Instalou-se, em 15 de junho, o nosso mais antigo cinema, na Rua Rio de Janeiro, ao lado do café da Marina. Prefeitura, escola, luz elétrica e cinema: a cabeça, o recheio da cachola, a lâmpada de leitura e o imaginário. Desses aparatos, qual deles não se acha sitiado em nossos dias por propugnadores de mundos imaginários?

Nessa época, as pessoas tinham gosto e tempo para pensar, ainda que o fizessem segundo a prática,mas nem sempre conforme a gramática. Em fevereiro de 1919 (os mandatos, muitas vezes, eram curtíssimos), Adalberto Bueno Netto deu início à construção do Primeiro Grupo Escolar da Rua Pará/Paraíba e, em maio, discutiu-se a questão do saneamento do Rio Japurá/São Domingos.Os caioás chamaram de Japurá o rio, porque ele mente: promete não transbordar e o faz de modo acintoso; espraia-se de maneira deselegante e bastante espaçosa; destrói sem dó nem piedade. O Japurá foi nosso primeiro grande complicador e, como se vê, deverá ser o último. Em 22 de junho, lançou-se a pedra fundamental de construção da igrejinha de São Domingos, concluída em 1926 e, em 11 de outubro, com ímpeto e coragem, Aristides Procópio de Oliveira (pai do prof. Brasil Procópio de Oliveira) à frente, um grupo de rapazes aguerridos, dentre os quais Carlos Machado, desceram a Rua 3 ou Rua da Estação/Brasil, a pé, ao som dA Marselha, dita a plenos pulmões em Francês, rumo ao prédio da estação ferroviária para dinamitá-lo.A Marselhesa, Revolução francesa?

Bons tempos aqueles em que conseguíamos pensar dois palmos à frente do nariz. Como a engenhoca não funcionou, queimaram o prédio. O processo foi tumultuado, Ruy Barbosa foi contratado pela Railway & Co. como advogado de acusação contra os amotinados. Nas eleições presidenciais, demos-lhe bem dado o troco: Ruy recebeu 63 votos contra os 247 dados a Epitácio Pessoa. Ruy perdeu as eleições. Nessa época, sabíamos brigar por causas nobres, hoje votamos em candidatos pobres de espírito. Em 9 de dezembro, o presidente do Estado Altino Arantes assinou a lei 1675B de instalação da comarca de CTV. Em fevereiro de 1923, ER doou ao Estado o terreno do quadrilátero das ruas Maranhão, Cuiabá, 13 de Maio e Recife, adquirido de Anália Franco, para a construção do futuro Liceu Rio Branco.

Em 7 de junho, inaugurou-se a agência do Banco do Brasil da Rua Brasil/Sergipe e, em 8 de dezembro, em razão da epidemia de malária que grassava em Palmares/Cordão Escuro, a Congregação presbiteriana transferiu-se para cá. Nessa época, a cidade tinha 25 mil almas (18500 na zona rural), orçamento magérrimo de 360 contos de réis e 14 milhões de pés de café. Em 1924, o São Domingos transbordou provocando o isolamento do centro e os bairros do S.Francisco e Higienópolis.Pela lei no. 100, Nestor Sampaio Bittencourt mandou fazer o passeio público da Rua Brasil. 24 foi o ano da maior revolução paulista ocorrida em SP e quem a comandou foi Isidoro Dias Lopes.Em 26 de junho de 1926, inaugurou-se a Santa Casa de Misericórdia/Hospital Padre Albino e, no ano seguinte, iniciou-se a construção por José Rodrigues Martins do Colégio Nossa Senhora do Calvário, o mais competente de todos os edifícios da cidade, juntamente com o Nossa Senhora da Ressurreição, o prédio central do Hospital Padre Albino e o Cinetheatro República, demolido, todos eles da lavra do Sr. Martins, avô paterno do engenheiro José Nélson Machado, criatura totalmente desconhecida dos catanduvenses.

Cidade sem memória é como indivíduo que não sabe onde descalçou os sapatos na véspera.

Adoramos caminhar por aí, descalços, como Minguta e Chaim.






Colunismo mais que social tem nome e sobrenome:

Arlindo Gutemberg

- Vou de táxi, cê sabe? Tava morrendo de saudade... Oi gente, tudo very well? Mais uma vez este colunista mais que social ocupa as páginas do Pastando a Limpo para apresentar a verdade dos fatos e combater os factóides e mentiras deslavadas que são publicados por aqui. O editor do Pastando a Limpo, o Muito Gordo Godoy, usa a internet como distribuir a desavença entre os homens de bens. Mas como a balança universal é correta, posso - por aqui - comprovar por A mais B que o nosso reino vive a plena paz e amor.

- Polêmica desnecessária surgiu na semana passada onde senhores desalmados da Câmara dos Lords simplesmente decidiram deixar nossos pachalenses de menor poder aquisitivo sem os confortáveis ônibus que atendem nossa comunidade. Ou seja, a turma do pé rapado vai ficar a pé. Já vejo aquela multidão caminhando e cantando e seguindo a canção, vindo de todos os cantos da periferia. Como já está mais que comprovado que caminhar faz bem, é uma grande oportunidade para nossos roliços pachalenses fazerem um exercício logo pela manhã. Imagino, com ternura, aquela caminhadinha entre o Imperial e o Bom Pastor.

- Rei Fonsinho, que Deus sempre o proteja e guarde, trabalhou com afinco para que nosso povo mais humilde, conhecido também como "pobre" pudesse andar de ônibus. Para você, leitor desta coluna, que não sabe o significado desta palavra estranha, ônibus é um veículo grande, onde as pessoas ficam se esfregando para lá e para cá, se divertindo enquanto chacoalham pela cidade. Vamos dizer assim que é uma forma de divertimento local. Tem o simpático apelido de "busão". Dizem até que o divertimento é tamanho que os pachalenses precisam pagar, o que acho justo.

- Rei Fonsinho queria um pequeno contrato de 240 anos, renováveis por mais 240. Coisa simples, bom para todo mundo. Claro que a oposição ingrata, autoritária, inconsequente e salafrária manobrou para que nosso monarca não conseguisse o contrato. E o que vai acontecer agora, senhores? Nosso povo, quase amado, quase reconhecido como gente, terá que caminhar no deserto, como nossos antepassados judeus fizeram há seis mil anos. Resta saber quem será o Moisés que conduzirá o povo....

- Mas nem tudo está perdido. Pessoas da nata mais que social continuarão dentro de seus carros particulares, com ar condicionado, e de preferência com vidro fumê. Pois a verdade é que ver pobre caminhando além de não trazer qualquer benefício, ainda pode trazer depressão.

- Como este colunista mais que social registra, caminhar sob a luz do Sol (nossa, parece uma canção), fará bem para o espírito natalino de nossos pachalenses menos afortunados. Quem sabe desistam de atrapalhar o trânsito na cidade e permaneçam nos guetos. Pois este colunista mais que social ainda torce para que pequenos aglomerados populacionais localizados nas bordas da comunidade (conhecidos como periferia e bairros distantes) sejam anexados às comunidades vizinhas.

- Pois já imaginaram se Catiguá - Melhor Lugar não há - assumisse de vez a Nova Pachalândia I e II? Que maravilha seria?

- Well, well, well. O Natal está se aproximando e o momento de é de paz e amor. De preferência com dinheiro no bolso. Por isso, vamos indo pois tenho que montar minha pequena árvore de Natal. Minhas odaliscas estarão aqui do meu lado, para ajudar a colocar as bolas.

- Beijos no coração de todos. (Arlindo Gutemberg, dentro de um táxi, ouvindo Angélica).

PARA ENTRAR NA PÁGINA DE ARLINDO GUTEMBERG - NO FACEBUNDA - CLIQUE AQUI. DEPOIS, CURTA E SIGA. ATUALIZAÇÕES DIÁRIAS


WhatsApp - (11) 9 9118-5007


04/11/2018




CANAL ARTE DA GUERRA

Comandante Robinson Farinazzo Casal


PASSANDO A LIMPO NO FACEBOOK - CLIQUE AQUI E CURTA



http://twitter.com/arthurgodoyjr


Divulgação gratuita



PARA SABER MAIS INFORMAÇÕES DE CATANDUVA E REGIÃO:


Tempo e temperatura


Google


Atenção!

Para ter Passando a Limpo em seu órgão de informação, ou receber material editorial de Arthur Godoy Junior, entrar em contato com a direção do site pelos telefones, e-mail ou endereços citados nesta página. Consultorias em jornalismo e estratégias de informação também podem ser adquiridas pelo mesmo método.


ENTRE EM CONTATO

(011)

99118-5007

ou...

(011) - 99118-5007 - WHATSAPP

E-mail: arthur007@uol.com.br


PODERES


Se você gostou deste site, acha que falta alguma coisa, colabore com a gente. Envie e-mail para arthur007@uol.com.br, ou telefone para (11) 99118-5007. Precisamos do seu apoio e incentivo, já que esta página é editada em São Paulo - S.P., a 385 km de Catanduva e região. Nossa intenção é informar, debater e ajudar. Mande suas informações, fotos, comentários. Ajude a manter este espaço. Agradecemos desde já. (Passando a Limpo)



Passando a Limpo é uma publicação on-line do jornalista Arthur Godoy Júnior (MTB 26.822) Endereço para contato: Rua Domingos Teotônio Jorge nr. 61 - Aricanduva - São Paulo - S.P, CEP 03904-040. Telefones: (11) 99118-5007, (0xx11) 2725-134. E-mail: arthur007@uol.com.br - Hospedado na Locaweb - São Paulo. On-line desde 19/01/2003.